Artigos

Mercado

3-passos-para-uma-gestao-de-dados-eficiente-na-sua-empresa.jpeg
Mercado,

3 passos para uma gestão de dados eficiente na sua empresa

0 comentários

O volume de informações digitais geradas pelas empresas segue aumentando, assim, considerando a importância que elas têm para os negócios, cada vez mais se torna necessário investir em soluções que agreguem maior eficiência à gestão de dados. Hoje, sabemos que isso vai além do uso das melhores ferramentas, implicando também metodologias inovadoras.

Foi pensando nisso que decidimos fazer este post. Queremos ajudar você a aumentar o potencial de coleta, armazenamento e análise dos dados corporativos, além de deixar os processos mais simplificados. Gostou da ideia? Então descubra, a partir de agora, 3 passos fundamentais para agregar eficiência à gestão de dados da empresa!

1. Estabeleça uma mudança de cultura

É essencial que todos os colaboradores envolvidos no processo enxerguem a gestão de dados como uma solução que precisa de aprimoramento constante para oferecer alto desempenho. Isso depende de uma linha de raciocínio que só pode ser criada e abranger todos os setores com a implementação de uma cultura apoiadora.

Para quem acredita que as ferramentas de ERP (Enterprise Resource Planning), CRM (Customer Relationship Management), Big Data analytics e BI (Business Intelligence) devem fazer todo o trabalho sozinhas, saiba que, apesar de elas entregarem um alto nível de automação, a configuração dos processos, o monitoramento e o controle são de responsabilidade dos profissionais.

Ou seja, não adianta ter os melhores sistemas à disposição, se a equipe não estiver engajada nem assumir responsabilidades pelas funções. Por isso, o recomendável é que a empresa invista no treinamento e motive a participação intensa dos profissionais para assumirem a causa e desenvolver uma cultura baseada no apoio.

2. Desenvolva modelos de análise

Os modelos de gestão tradicionais envolvem a automação dos processos de coleta, classificação e armazenamento seguro dos dados. Porém, podem ser mais eficientes ao estabelecer automação também aos padrões de análise. Tudo vai depender da configuração. Cada empresa tem uma necessidade diferente de informações, e os modelos de análise devem considerar isso, abrangendo somente dados realmente relevantes no processo.

Banner E-book Data Center Virtual

Esse cuidado ajudará a reduzir o volume de dados armazenados inutilmente e facilitará o atendimento às normas legislativas e de conformidade. Tais políticas de análise devem ser comunicadas aos profissionais e passar a representar um modelo que contribua para a formação da cultura no setor de TI.

Resumindo, a maioria dos sistemas entrega ferramentas de análise automáticas com configurações padronizadas. Você deve reconfigurar esses modelos com base nas necessidades da empresa para alcançar o nível de eficiência que precisa.

3. Socialize as informações

Em todas as empresas, cada profissional tem a sua parcela de responsabilidade nos resultados. Por isso, o ideal é que trabalhem em equipe, compartilhando as informações de melhoria. Como o exemplo deve vir de cima, os gestores precisam dar o primeiro passo e manter os profissionais sempre bem informados, aumentar o nível de parceria e atuar mais como apoiadores de tarefas.

Quando o grau de transparência for satisfatório, todos ficarão agradecidos e se sentirão mais parte da equipe, resultando em um envolvimento maior com os projetos. Então, quebre a barreira do sigilo, principalmente das informações que possam afetar a produção individual e coletiva.

Algumas ferramentas permitem unir as atividades de gestão dos dados com a comunicação em um único sistema. Além disso, painéis de monitoramento de desempenho podem ser desenvolvidos para disponibilizar as informações de prazos, por exemplo, para que todos os integrantes da equipe visualizem. Essa pode ser uma boa forma de estimular a socialização das informações entre as equipes de trabalho da empresa, motivando uma gestão mais colaborativa.

Na gestão de dados, os processos de coleta, armazenamento e análise continuam sendo de extrema importância para a empresa. Mas se quiser agregar eficiência a eles, deve adotar essas medidas.

Gostou das dicas? Siga a EVEO nas redes sociais agora mesmo e fique sempre por dentro do assunto. Estamos presentes no Facebook, Twitter e LinkedIn!

entenda-o-que-e-o-iiot-e-saiba-o-que-muda-para-a-industria.jpeg
Mercado,

Entenda o que é o IIOT e saiba o que muda para a indústria!

1 comentário

O que toda empresa busca, além de reduzir custos, é tornar a sua produção eficiente. A automação industrial já é uma realidade há um bom tempo e é essencial para o negócio. No entanto, com a tecnologia de IIoT (Industrial Internet of Things, ou Internet Industrial das Coisas), é possível chegar muito mais longe.

Por meio de vários dispositivos, sensores e aplicativos é possível conectar, coletar e transmitir dados que, além de controlar máquinas, fornecem dados que servem de apoio para decisões gerenciais.

Para que você saiba como essa revolução industrial pode ser aplicada ao seu negócio — e como ela pode ser benéfica para ele —, acompanhe esse artigo!

O que é IIoT?

O mundo vive uma transformação digital e a internet das coisas industrial faz parte disso. Seu objetivo é conectar diversos dispositivos para coletar e transmitir dados. Para essa comunicação, há quatro variáveis essenciais: os dispositivos, a comunicação entre os dispositivos, os dados e a análise dos dados.

A ideia é a mesma que a Internet das Coisas utilizada para os aparelhos domésticos. Entretanto, no caso da IIoT, a conexão é entre máquinas industriais, sistemas legados e outros aparatos relacionados ao mundo das produções. Além da fabricação de produtos, ela pode ser aplicada em setores como gestão de instalações, monitoramento de cadeia de suprimentos, assistência médica e varejo.

Quais os benefícios dessa tecnologia?

Para a indústria, a utilização dessa tecnologia pode proporcionar inúmeros benefícios. Entenda quais são eles abaixo!

Eficiência operacional

Por meio da tecnologia de IIoT, a indústria utiliza melhor seus ativos e, com isso, há uma redução de custos operacionais e ganho em produtividade.

Um exemplo é a economia com manutenção preventiva. Com a utilização de sensores, por exemplo, é possível identificar falhas em equipamentos, tempo de inatividade de máquinas etc. Com base nesses dados, é possível prever situações críticas e responder rapidamente para evitar maiores prejuízos.

Novos serviços e negócios

Com o crescimento da IIoT, surgem novas oportunidades de serviços e negócios que utilizam modelos de negócio baseados na web. Assim, soluções como PaaS (Plataform as a Service), IaaS (Infrastructure as a Service) ou sistemas como EDI (Electronic Data Interchange) têm sua comunicação de dados mais eficiente com o uso dessa tecnologia.

Um outro exemplo são empresas que podem aproveitar essa tecnologia para investir em fornecimento de produtos como serviços. Dessa maneira, o fabricante entrega uma máquina ao cliente e oferece o serviço de suporte remoto (que já existe, mas é extremamente facilitado pela IIoT). Além disso, o custo de um equipamento pode ser muito alto, ao passo que o valor pago para a sua utilização é bem mais viável para o cliente.

Banner E-book Data Center Virtual

Auxilio para tomada de decisões

Um outro benefício na utilização de IIoT é a ajuda na tomada de decisões estratégicas. O monitoramento constante de dados em tempo real resulta em um conjunto de análises que faz com que seja possível uma real percepção do processo de produção. Em função disso, a empresa é capaz de analisar esses dados para reduzir custos e desperdícios.

O que muda na indústria com a IIoT?

A utilização da IIoT significa uma nova revolução industrial e, por isso, ela também é chamada de Indústria 4.0. Veja abaixo algumas das mudanças que ela representa.

Controle de qualidade

Com essa tecnologia, o processo de produção é diferenciado — ou seja, há uma maior comunicação entre o que é produzido e a máquina. Dessa maneira, há um ganho na qualidade final do produto, já que qualquer inconsistência pode ser detectada durante o processo de produção.

Estoques precisos

O controle de estoques também fica mais eficiente com a utilização de sensores, que podem verificar a necessidade de reposição de peças. Assim, além de estoques precisos, há uma agilização de processos e economia, tanto de tempo do funcionário ao controlar o estoque quanto para evitar o desperdício por compras desnecessárias.

A Internet Industrial das Coisas veio para renovar o processo de produção como um todo. Essa é uma tendência mundial e as empresas que fizerem parte disso estarão um passo à frente da sua concorrência.

E então, gostou do nosso artigo sobre o que é IIoT e seus benefícios para a indústria? Compartilhe com seus amigos em suas redes sociais!