Artigos

PHP

cms-para-sites-saiba-o-que-e-para-que-serve-e-como-escolher.jpeg
PHP,

CMS para sites: saiba o que é, para que serve e como escolher!

0 comentários

Hoje em dia, é fundamental para qualquer empresa ter um site ou blog na internet. Entretanto, antes de iniciar esse projeto, é preciso planejar como ele será feito, já que existem diversos tipos de CMS para sites.

Com tantas opções disponíveis, fique atento para não correr o risco de precisar mudar de sistema no futuro por falta de algum recurso técnico. Por isso, antes de fazer a sua escolha, avalie questões como infraestrutura, suporte técnico, facilidade de uso, recursos disponíveis, segurança da informação etc.

Para ajudá-lo nesta atividade, listamos neste artigo algumas orientações importantes para que você selecione o melhor sistema gerenciador de conteúdo para a sua empresa. Acompanhe!

Entenda o que é CMS

Em primeiro lugar, é preciso entender o que é CMS — “Content Management System” ou Sistema de Gerenciamento de Conteúdo O CMS foi desenvolvido para agilizar o processo de atualização do conteúdo de uma página. Dessa maneira, não é mais necessário editar códigos HTML para fazer as atualizações de conteúdo, pois essas atualizações não alteram a parte técnica do site.

O CMS é um sistema onde as informações de cada página do site são acessadas e podem ser manipuladas. Nele é possível inserir ou retirar da página dados como textos, gráficos, imagens, vídeos etc. Portanto, essas informações são atualizadas na página do site por meio da interface gráfica do gerenciador de conteúdo.

Além do gerenciamento de conteúdo, os sistemas CMS permitem várias customizações, como escolha de temas, instalação de plugins, widgets etc.

Saiba como escolher o melhor CMS para sites

A escolha do melhor gerenciador de conteúdo deve levar em consideração alguns critérios importantes.

Infraestrutura

Avaliar a infraestrutura do CMS é fundamental para uma boa escolha. Por isso, analise se é possível fazer a customização e desenvolvimento de temas e plugins. Isso, porque sua empresa pode precisar alterar alguma característica ou criar uma nova funcionalidade que não esteja disponível nos temas e plugins existentes. Nesse caso, se o gerenciador for customizável, você pode deixar o site mais personalizado.

O suporte a idiomas também é um item que pode fazer parte do critério de avaliação, pois, se sua empresa for de alcance internacional, é possível disponibilizá-lo em diversas línguas.

Suporte

É necessário avaliar se o CMS escolhido possui suporte técnico. Entretanto, existem no mercado sistemas pagos e versões open source.

Nos sistemas com versões open source, geralmente, o suporte é feito pela comunidade de desenvolvedores, além de toda a documentação disponível. Existem também empresas que oferecem serviços de suportes a vários tipos de CMS open source.

Já em CMS pagos, deve-se checar qual é o tipo de suporte oferecido pela plataforma e se há algum custo adicional para essa função.

Flexibilidade

Com um CMS flexível, é possível criar qualquer tipo de site, como blog pessoal ou corporativo, site profissional, site pessoal, loja virtual etc.

Banner E-book Data Center Virtual

Facilidade de uso

A facilidade de uso deve ser pré-requisito para a escolha do gerenciador de conteúdo. Para isso, garanta que a utilização do CMS seja tão simples quanto a utilização de qualquer editor de texto.

Confiabilidade

Nesse item é necessário avaliar se o gerenciador de conteúdo apresenta falhas técnicas constantemente, e se é possível recuperar os dados em caso de falhas. Outro fator a se considerar é a disponibilidade, caso seja preciso que o sistema fique 24 horas por dia disponível. Além do CMS, é importante também avaliar um bom servidor de hospedagem.

Compatibilidade

Esse item deve ser considerado caso você queira que o CMS tenha interoperabilidade, ou seja, que ele tenha interfaces com outros sistemas.

Segurança

segurança é fundamental em todos os sistemas de informação. Por isso, não deve faltar no CMS acesso ao sistema por meio de senha. Além disso, para garantir a integridade, é essencial que o sistema impeça o acesso não autorizado.

Ainda para a garantia da integridade, deve-se avaliar se é possível fazer backup e restore do banco de dados.

Portabilidade

Para avaliar a portabilidade, deve-se verificar se o sistema é adaptável a outros sistemas operacionais.

Software Livre

A escolha por CMS de código livre é essencial para garantir acesso completo ao código-fonte do sistema.

Atualização

Para avaliar esse item, verifique se o sistema possui atualizações regularmente, qual a maneira de aplicação dessas atualizações, e se elas são automáticas ou podem ser feitas a qualquer momento.

Conheça os principais tipos de CMS

Existem no mercado diversos tipos de CMS, com diversas funcionalidades. Alguns dos mais populares são:

WordPress

O WordPress é um CMS open source desenvolvido em PHP. Ele utiliza banco de dados MySQL ou MariaDB, e oferece suporte HTTPS, para que o site rode em ambiente seguro. Entretanto, existe a versão paga do WordPress. Nela, não é possível o acesso aos códigos fontes e as customizações são restritas às opções de plugins, widgets e temas oferecidos pela plataforma.

Para hospedar o WordPress, é recomendado hospedagens com suporte a servidores Apache ou Nginx. Entretanto, ele pode ser instalado em qualquer servidor com suporte a PHP e MySQL.

O WordPress é um sistema customizável, possui inúmeros temas, widgets e plugins gratuitos e pagos.

Drupal

O Drupal também é um sistema open source, desenvolvido em PHP, com banco de dados MySQL, PostgreSQL ou SQLite.

A hospedagem do Drupal pode ser feita em ambiente Apache, Nginx, Lighttpd ou Microsoft IIS.

O Drupal é um CMS extremamente flexível, funcional, e com ampla variedade de temas, plugins e configurações que possibilitam uma maior possibilidade de customização. Uma característica relevante desse gerenciador é o seu módulo de segurança elevado.

Joomla

O Joomla, assim como os outros CMS, também é open source, e pode ser instalado em qualquer servidor com suporte a PHP e MySQL.

O Joomla é um sistema extremamente flexível e fácil de customizar. Uma característica considerável desse gerenciador é que ele possui uma ferramenta de backup eficiente.

Servidor Dedicado EVEO

Veja algumas dicas de manutenção e uso

Para uma boa utilização do CMS, algumas dicas devem ser anotadas:

  • mantenha sempre o sistema CMS atualizado. Isso porque as atualizações, além de apresentarem melhorias, servem para corrigir problemas técnicos que muitas vezes podem ser falhas de segurança dos dados;
  • mantenha um ambiente de testes para o sistema, e sempre instale nesse ambiente qualquer atualização antes de aplicá-la em produção;
  • antes de qualquer atualização no sistema, temas ou plugins, faça o backup dos dados. Esse procedimento é extremamente importante para a recuperação do site em caso de problemas;
  • faça a configuração de permissão de acesso para cada usuário do sistema, pois as áreas de configurações de plugins e temas devem ter acesso restrito para evitar acidentes;
  • para uma maior segurança, crie procedimentos para alteração da senha dos usuários a cada 3 meses.

Enfim, com as enormes funcionalidades que os sistemas gerenciadores de conteúdo oferecem, é possível utilizá-los de várias maneiras em uma empresa. Portanto, faça uma boa avaliação de suas funcionalidades, estude as diversas opções existentes no mercado e crie um site espetacular para a sua empresa.

Agora que você já sabe o que avaliar para escolher um bom CMS para sites, siga-nos no FacebookTwitter ou LinkedIn, e acompanhe todas as nossas atualizações.

Matérias de Ajuda, PHP,

Dicas úteis para o phpMyAdmin

1 comentário

Que o phpMyAdmin é uma fantástica ferramenta, todos nós já sabemos. Mas vejo muito por aí pessoas com pequenos problemas que poderiam ser facilmente resolvidos com recursos existentes no próprio phpMyAdmin, e então eu reuni aqui algumas dicas que podem ajudar profissionais web a se tornarem mais produtivos e, em alguns casos, trabalhar com mais segurança.

Dica #1: Duplicando um banco de dados inteiro com o phpMyAdmin

Em algumas ocasiões, precisamos fazer mudanças simples nos projetos que se encontram em produção (ou seja, estão atualmente online), mas nenhuma mudança que tenha contato com as informações do site/blog/sistema/aplicativo pode ser implementada sem antes passar por testes, e o ideal é que esses testes sejam feitos em uma réplica do banco de dados em que se encontram as informações da aplicação, que atualmente está em produção. O que muitos não sabem é que duplicar um banco de dados pode ser feito facilmente, através do recurso copiar banco de dados, do próprio phpMyAdmin.

Duplicar um banco de dados no phpMyAdmin é muito fácil. Acesse o phpMyAdmin através do seu cPanel ou HELM e clique no nome do banco de dados que deseja duplicar. Na aba Operações, você já verá um formulário com o título Copiar banco de dados para. É nesse formulário que essa operação pode ser feita com total facilidade, e ele ainda tem alguns recursos para personalizar a operação. São eles:

  • Somente estrutura – copia somente a estrutura do banco de dados. Serão fielmente copiadas todas as tabelas, mas nenhum registro estará contido nas mesmas.
  • Estrutura e dados – tanto a estrutura das tabelas quanto seus registros serão copiados. Essa é a opção que está sempre selecionada por padrão. O banco de dados de destino será uma cópia perfeita do banco de dados de origem, diferenciando apenas o nome.
  • Dados apenas – copia apenas os registros do banco de dados. Para essa opção ser utilizada, é preciso que o banco de dados de destino já esteja com a mesma estrutura de tabelas que tem o banco de dados de origem.
  • CREATE DATABASE antes de copiar – para usuários que possuem privilégios para criação de bancos de dados, essa opção pode ser útil para não ter que ir à outra página para só então criar um novo banco de dados.
  • Adicionar DROP TABLE / DROP VIEW – esta opção destruirá tabelas existentes no banco de dados de destino com o mesmo nome das tabelas que estão sendo copiadas. É um recurso que deve ser usado com cuidado.
  • Adicionar valor AUTO_INCREMENT – essa opção fará com que o índice de incremento dos campos com AUTO_INCREMENT do banco de dados de destino sejam os mesmos do banco de dados de origem. Deixe sempre marcado para garantir a integridade dos dados.
    Mudar para o banco de dados copiado – fará com que, após a operação de duplicação de banco de dados seja concluída, o phpMyAdmin já carregue na página do banco de dados de destino, possibilitando assim já iniciar a trabalhar diretamente nele.

Dica #2: Efetuando backups de um banco de dados de forma organizada

Efetuar backups das informações é sempre uma boa idéia. No meu caso, quando posso eu agendo os backups via software, mas nem sempre isso está disponível e fácil a todos. Nesse caso, o recurso Exportar do phpMyAdmin supre a necessidade. Mas e quando sua pasta de backups tem vários arquivos do tipo bancodedados.sql-01.zip, bancodedados.sql-02.zip, bancodedados.sql-03.zip… Como saber facilmente qual backup é o mais recente? E como deixar de forma fácil essa informação para futuras consultas?

No momento em que você vai fazer backup de um banco de dados através da aba Exportar do phpMyAdmin, ele pergunta pelo nome do arquivo do modelo. Logo abaixo, avisa que aquele valor é interpretado usando a função strftime do PHP, e avisa também que você pode usar strings de formatação de tempo. Isso é o suficiente para resolver o problema da organização dos nomes dos arquivos de backups!

Eu criei um novo modelo para meus backups, no qual o nome do arquivo fica algo parecido como 2010-11-13_19-36-00_nomedobanco.sql.zip. Para isso, bastaria você usar o seguinte modelo:

%Y-%m-%d_%H-%M-%S___DB__

Assim, o arquivo de backup do meu banco de dados que o phpMyAdmin irá servir para download já virá nomeado com o ano, mês, dia, hora, minuto e segundo atual, seguidos do nome do banco de dados! Olha que maravilha! 🙂 Assim, você já pode salvar diretamente o arquivo na sua pasta de backups no seu computador, e se você deixar a opção lembrar modelo marcada, da próxima vez que você for exportar seu banco de dados esse modelo de nomenclatura já estará configurado. 😀

Post by: Joel Wallis
“Desenvolvedor web, blogueiro, tuiteiro”